Número de pessoas cadastradas no Avaaz é falso

imagesE o Avaaz não se cansa de enganar o povo! Agora está encaminhando e-mails para as pessoas que se cadastraram no site, para informar que sua rede de internautas já alcançou mais de 20 milhões de usuários em todo mundo. O número, como tudo que envolve aquele site, é uma grande fraude.

O cadastro na comunidade do site não exige nenhuma documentação, permitindo que uma pessoa que queira dar destaque para alguma petição se inscreva com diferentes nomes e e-mails. Esse é o motivo da falta de credibilidade do Avaaz, pois até as assinaturas das petições também podem ser forjadas.

O motivo do envio desse e-mail também é bastante questionável. Não foi uma iniciativa pensada apenas para informar o público. Ao fim da mensagem aparece um pedido de apoio, dizendo que o site sobrevive graças às doações, solicitando que o internauta contribua com a organização . Ou seja, o ativismo pregado pelo Avaaz na verdade é apenas uma forma arrecadar dinheiro.

Anúncios

Projeto Kony 2012 foi um falso viral?

No ano passado o projeto Kony 2012 ficou conhecido em várias partes do mundo. A ONG americana Invisible Childrens fez um vídeo contando sobre os crimes cometidos por Joseph Kony, um rebelde de Uganda, na África, que lidera o Exército de Resistência do Senhor (LRA é a sigla em inglês). O vídeo conta que Kony e seus seguidores violentavam crianças e faziam com que elas se tornassem parte do seu exército, obrigando-as até mesmo a matar os próprios pais.

Veja o vídeo:

O projeto Kony pretendia alcançar apoio de governos para que o criminoso Kony fosse capturado. No início do ano passado, a União Africana chegou a enviar tropas para o Sudão Sul, país onde militares acreditavam que Kony poderia estar. Os Estados Unidos também contribuiu enviando soldados para Uganda, para que eles ajudassem os militares locais, tentando conseguir informações estratégicas para ajudar na captura do criminoso.

Apesar da mobilização que o vídeo gerou, pois incentivava os internautas a repassarem aquele conteúdo aos seus amigos, não resultou em nada.  Muitas críticas foram feitas a ONG, já que o vídeo fazia parecer que o único responsável pelo tráfico humano no país era Kony, o que não é realidade.

Apesar de o vídeo mostrar uma história real, alguns críticos acreditam que tenha acontecido a manipulação de dados que foram mostrados. Para esses críticos, os números que são mencionados foram modificados para impactar quem os visse. Além disso, pouco tempo depois a causa foi esquecida e ninguém mais sabe se ainda está sendo feito algo contra o tráfico humano em Uganda e em outros países da África. Os ativistas virtuais que compartilharam o vídeo não conseguiram nada, a não ser perder o tempo que dedicaram a assistir tal história.

Novo alerta contra Avaaz está circulando no Facebook

E mais pessoas estão de olhos abertos com o Avaaz! Apesar de ultimamente eu já ter feito vários posts sobre a farsa desse site, já que este assunto está em destaque, hoje vim mostrar outra prova sobre o que eu venho dizendo. Está circulando no Facebook uma declaração feita por um cidadão que está indignado com o site de assinaturas, pois descobriu o jogo de interesses que move essa organização.

Veja o post do Facebook que encontramos:

imagem texto sobre avaaz

Se alguém quiser ver um dos posts que foram feitos com essa declaração no Facebook o link é https://www.facebook.com/silviafilippo/posts/443994765680228 .

Papa Argentino ganha petição no Avaaz

Pessoal, recebemos uma peça hoje que está rolando no Facebook e achei importante divulgar com vocês. Fizeram uma brincadeira com o Papa Argentino, mas na verdade a intenção era criticar o Avaaz. Só para vocês terem uma ideia, uma petição pedindo a saída do Papa foi criada no site de assinaturas online. Já que a moda é criar petições para tudo: Fora Papa Argentino. E o pior é que o Avaaz aceita a criação desse tipo de petição. Afff!!!

papaépop (1)

Entenda porque o Avaaz é uma farsa

imagesQuem vê Pedro Abramovay defender com unhas e dentes o site de petições online Avaaz pode não conhecer toda sua história. O advogado é chefe de campanha do Avaaz no Brasil e tem aparecido na mídia para comentar sobre a petição movida para impeachment de Renan Calheiros.  Contudo, a credibilidade do site está sendo questionada, já que as assinaturas online não exigem nenhum documento e podem ser feitas por meio de nomes e e-mails que nem mesmo existem.  Abramovay tenta se posicionar como alguém que está lutando pelo bem da sociedade.  Mas, quais seriam seus reais interesses em divulgar tal petição? Será que não existem interesses políticos por trás dessa iniciativa?

Abramovay já ocupou vários cargos de assessoria política. Em 2006 a revista Veja publicou uma grande reportagem em que divulgava frases de gravações onde o próprio Abramovay confirmava ter participado da elaboração de dossiês contra os opositores dos petistas nas eleições municipais em São Paulo. A fala do advogado, destacada pela revista, mostrou que ele disse que quase foi preso junto com os aloprados do escândalo dos falsos dossiês.

Em 2007 se tornou Secretário de Assuntos Legislativos e três anos depois foi nomeado Secretário Nacional de Justiça. Chegou a substituir por um dia o ministro da Justiça em 2009, e nesse curto espaço de tempo foi acusado de praticar nepotismo, tendo nomeado sua própria esposa, Carolina Dzimida Haber, como pode ser verificado no Diário Oficial da União de fevereiro de 2009. Como se não bastasse, em 2010 o jornal Folha de S. Paulo divulgou outro escândalo: Abramovay havia conseguido com seu amigo da Casa Civil, Beto Vasconcelos outro cargo para sua mulher.

Dono desse “belo” histórico no exercício de cargos políticos, Abramovay agora se dedica aos assuntos do Avaaz. Resta descobrirmos a troco de quê. O ativismo incentivado pelo advogado não só parece um jogo político como também busca arrecadar milhões para o site. Aproveitando-se da inocência dos brasileiros que desejam lutar por um país mais justo, Abramovay discursa ladainhas, recebe por isso e ainda tenta posar de bom moço.