Sensacionalismo na política – A forma de banalizar uma informação

Foto: Google Imagens

Foto: Google Imagens

O  sensacionalismo está presente por todos os lados. Se reparar bem, até você repassa notícias sem ao menos saber se ela é verdadeira. Isso acontece pelo fato de sermos coniventes a esta situação. Vários casos de informações distorcidas circulam na internet, que é um ótimo exemplo de ambiente a ser analisado. Vamos citar alguns casos que circularam na internet:

Brasília ganhará estátua gigante de Lula, do tamanho do Cristo Redentor

Pastora Suzane Richthofen é nomeada presidente da Comissão de Seguridade Social e Família

Senado aprova pagamento de bolsa mensal de R$ 2.000,00 para garotas de programa

As mensagens são chamativas devido a forma que prendem a atenção do leitor ao texto pelo sensasionalismo. Trocadilhos e comparações esdrúxulas até sustentam o roteiro do conteúdo.

Coincidências ou não, todos os títulos das respectivas matérias possuem uma conexão política. Talvez por estratégia da oposição ou por simplesmente levar a expressão “brincar de ser jornalista” ao pé da letra. As pessoas perdem o senso crítico e se unem ao comum. Dando apoio ao mecanismo de divulgação e amplificação da notícia ao ler a matéria, curtir, compartilhar e encaminhar ao por e-mail..

É imprescindível, ponderar a notícia que está sendo lida. Temos que saber interpretar o que é chegado até nós. Todos os dias somos bombardeados de informações e entender o que se lê, é primordial.
A ética precisa ser praticada! Aquela ética de consciência sabe? Melhor que ler é interagir com a leitura. Recicle a ética das ideias e também aquela do consenso de mensurar os fatos. Assim pode acontecer uma melhoria no contexto social. O indivíduo precisa de autoavaliação.  Se necessário censure o quê você lê!

Anúncios