Sensacionalismo na política – A forma de banalizar uma informação

Foto: Google Imagens

Foto: Google Imagens

O  sensacionalismo está presente por todos os lados. Se reparar bem, até você repassa notícias sem ao menos saber se ela é verdadeira. Isso acontece pelo fato de sermos coniventes a esta situação. Vários casos de informações distorcidas circulam na internet, que é um ótimo exemplo de ambiente a ser analisado. Vamos citar alguns casos que circularam na internet:

Brasília ganhará estátua gigante de Lula, do tamanho do Cristo Redentor

Pastora Suzane Richthofen é nomeada presidente da Comissão de Seguridade Social e Família

Senado aprova pagamento de bolsa mensal de R$ 2.000,00 para garotas de programa

As mensagens são chamativas devido a forma que prendem a atenção do leitor ao texto pelo sensasionalismo. Trocadilhos e comparações esdrúxulas até sustentam o roteiro do conteúdo.

Coincidências ou não, todos os títulos das respectivas matérias possuem uma conexão política. Talvez por estratégia da oposição ou por simplesmente levar a expressão “brincar de ser jornalista” ao pé da letra. As pessoas perdem o senso crítico e se unem ao comum. Dando apoio ao mecanismo de divulgação e amplificação da notícia ao ler a matéria, curtir, compartilhar e encaminhar ao por e-mail..

É imprescindível, ponderar a notícia que está sendo lida. Temos que saber interpretar o que é chegado até nós. Todos os dias somos bombardeados de informações e entender o que se lê, é primordial.
A ética precisa ser praticada! Aquela ética de consciência sabe? Melhor que ler é interagir com a leitura. Recicle a ética das ideias e também aquela do consenso de mensurar os fatos. Assim pode acontecer uma melhoria no contexto social. O indivíduo precisa de autoavaliação.  Se necessário censure o quê você lê!

Anúncios

Anonymous: A máscara falsa

Foto: Google Imagens

Foto: Google Imagens

O grupo Anonymous procura sempre algum tipo de destaque. Eles querem “desmascarar” (usando máscaras) a política brasileira. Que contraditório!  Mas espera, não seria um tipo de exibicionismo? Veja bem, as manifestações ganharam repercussão e visibilidade devido a internet, que é o principal meio usado por esse grupo para difundir informações falsas para população, principalmente por meio das redes sociais.

O Anonymous cria a bagunça e depois apresenta a solução como um verdadeiro “circo”, com direito a holofotes e até aplausos. É muito fácil traçar estratégias assim! E com isso, por falta de conhecimento várias pessoas não assimilam a farsa de um verdadeiro grupo de ativistas, com ideais e sem pretensões financeiras envolvidas.

Talvez, como forma de glorificar-se como os “salvadores das história”, o grupo não mede esforços para inverter situações e logo estão aparecendo com várias ideias de mudanças para um mundo melhor.

Nas últimas semanas, na manifestação em Brasília, muita gente estranhou a comissão de frente ser formada pelo grupo mascarado. Por que eles estariam no comando dos protestos? Por que o uso de frases em inglês?  A explicação é certa: o grupo de hackers cria a condição, as pessoas reagem, e depois eles ressurgem com o tão esperado desfecho da história.

Não precisa desmoralizar as pessoas para conseguir uma causa. Ainda mais quando essa causa é para o bem comum. A política existe para ajudar a sociedade e não para atrapalhar.

Por isso cuidado, você pode estar sendo manipulado(a)!

Avaaz – O que parece verdade, pode ser mentira

Google Imagens

Google Imagens

Atualmente qualquer um faz campanhas na internet. Acho que o indivíduo pensa: Ah! Estou aqui online, sem nada para fazer… Estou a fim de revolucionar, de aparecer, de ganhar dinheiro, de reivindicar pelos meus direitos, de ajudar o bem comum. Eureka! Vou traçar objetivos e tentar atingir o máximo de pessoas que eu puder.

Galera, muita atenção nas petições criadas! Já ouviram falar na frase clichê, mais que se adequa a nossa realidade: as aparências enganam? Então, não é só porque aparece em suas atualizações um texto com palavras bonitas e uma foto que chama atenção, que você deve confiar e acreditar no que está escrito. Em meio a esses pedidos de doações, existe uma mensagem apelativa que explora um tipo de assunto que esteja no auge. A mídia se encarrega de propagar o fato e as pessoas de aceitar a manipulação. O comodismo da informação é o pior dos pecados!

Seria objetivo do Avaaz traçar estratégias para impulsionar mensagens em massa com as petições e pedidos de doações para milhares de contas do Brasil? Complexo!  Talvez seria uma agressão à democracia usar da falta de conhecimento das pessoas para garantir um espaço na mídia e conseguir faturar mais de 18 MILHÕES DE DÓLARES em doações feitas por internautas. É uma falta de respeito com a sociedade. Mas a população contribui com essa ação, a medida que reenviam as petições para seus contatos, que repassam para outros e assim vira um clico vicioso mais que não tem fim, até os objetivos se misturarem com possíveis interesses. É uma teia de divergência entre princípios e  real intenção!

A internet deve ser usada com sabedoria! Só assim as informações terão um certo controle e uma melhor responsabilidade social. Cuidado! Saiba diferenciar as campanhas sérias de golpes. Não seja a isca do falso moralismo.

Consciência limpa! Esse é o conceito.