Cidadania global x abaixo-assinados virtuais

Google Imagens

Google Imagens

Desabafar nas redes sociais virou “modinha”. Reclamar de política então, nem se fala. O computador virou a arma de protestos dos brasileiros e a internet é usada como instrumento da cidadania. O alvo? Os políticos, é claro. Organizar abaixo – assinados parece ser a diversão de quem não tem o que fazer e opta por criar um projeto com a cara do “cidadão”. Por que, veja bem, como a internet é um campo de livre acesso, as pessoas acham que “descascar o abacaxi” soluciona toda a situação da política brasileira. Atualmente, a duplicidade das informações aumentou e a perda de controle sobre os dados que obtemos também. Por isso, se liga! Muita coisa que caem na rede podem não ser verdadeiras, e o efeito é contrário.

Neste ano, a mídia divulgou um dos pedidos que mais receberam assinaturas: o “Fora Renan”, que acusava o senador Renan Calheiros (PMDB – AL) de ter despesas pessoais pagas por lobista. Mas a ação não teve consequência. Como sabemos, Renan foi eleito presidente do Senado em 1º de fevereiro. Um mês antes, o “Fora Renan” já havia conseguido  1,6 milhão de assinaturas, mesmo total alcançado para a Lei Ficha Limpa, e número mínimo para apresentação ao Congresso de um Projeto de Lei de iniciativa popular. O abaixo-assinado contra o senador está hospedado no www.avaaz.org. Não há garantia de autencidade das petições. O fenômeno virtual desafia a classe política e tem Brasília como seu destino final. Tudo parece estar online… Mas, e você? Vai se aliar ao modismo?